terça-feira, 7 de abril de 2015

O QUE É A ORAÇÃO

A oração não é vencer a relutância de Deus em nos ajudar ou nos dar algo, é apropriar-se de sua mais alta disposição. Orar é conversar com Deus, no entanto, a oração deve ser mais do que simples palavras. Tudo o que fazemos deve ser um ato de oração e adoração a Deus. Orar é a comunicação entre nosso espírito recriado e o Espírito Santo de Deus (I Co 6.17; Mt 6.5-8; Is 43.26). Orar é também guerrear, pois, quer você acredite ou não estamos em guerra. Não contra nossos semelhantes, mas, contra as entidades espirituais do mal (Ef 6). E ao entrarmos em oração devemos ter em mente que estamos entrando para definir uma situação.

Por este motivo é necessário entender que ler sobre oração é muito importante, porém, não é suficiente. Se tivermos uma receita de um bolo maravilhoso bem como os ingredientes certos e, todavia, não os juntarmos da forma correta e não o colocarmos para assar de nada nos adiantará. Assim é a oração. Podemos ler tudo o que já foi escrito a respeito da oração e não alcançar poder algum enquanto oramos. Precisamos orar para continuarmos orando e assim alcançarmos o favor de Deus e isso nada tem a ver com merecimento ou premiação por sermos "bons na oração", tem a ver apenas com o amor e a fidelidade de Deus (Lc 11.9).

PRINCÍPIOS DA VIDA DE ORAÇÃO

Temos de reconhecer a necessidade da vida de oração (ISm 12.23; Lc .16). Temos que reconhecer que Deus ouve e responde a oração feita segundo a Sua vontade (2Co 12.7-10; Sl 99.6-8; I Jo 5.14). 

Temos de reconhecer os verdadeiros propósitos da Oração: 
  • Glorificar a Deus (Jo 14.13);
  • Levar-nos a uma íntima comunhão com Deus (Jo 15.7-8);
  • Fazer com que nos interessemos pelos outros (I Tm 2.1-8).
Afinal, a oração não significa expressar uma opinião, mas viver a presença de Deus.