domingo, 22 de dezembro de 2013

CORAJOSOS - A HONRA COMEÇA EM CASA - RESENHA

Randy Alcorn
Editora Arqueiro
2012

Este é um livro pra guardar no coração, que faz pensar. Livros de ficção cristã são os mais difíceis de serem escritos, tendo em vista seu público alvo: cristãos e não cristãos. Difícil também falar deste livro, sem ser piegas.
O tema principal é a fé, amizade e amor e em como é complicado para um policial, que tem o dever de proteger uma população que não dá valor ao seu trabalho e até matar para manter a ordem, temer a Deus.
É isso mesmo que Adam, Shane, Nathan e David enfrentam no dia-a-dia. Lutam bravamente contra gangues violentas e o tráfico de drogas na cidade de Albany, mas o maior desafio de cada um deles não está nas ruas, mas dentro de suas casas.
A relação familiar de cada um desses homens está ruindo, pois suas esposas nem sempre entendem seus horários, sem falar na dificuldade em criar seus filhos com sabedoria.
Corajosos retrata a vida de quatro policiais os riscos da profissão, o estresse que ela causa. E o quanto o trabalho pode nos afastar das pessoas que mais amamos. Apenas quando uma tragédia se abate sobre Adam é que eles percebem que precisam mudar seu comportamento e reconquistar a confiança de suas famílias.
Abalado, Adam começa a estudar a Bíblia para descobrir o que Deus espera dele como pai e o que deve fazer para se tornar uma pessoa melhor. Dessa forma, descobre nas palavras de Jesus sua verdadeira missão: deixar um legado positivo para seu filho e ajudar outros pais a colocar a família em primeiro lugar. Adam inspira seus amigos a assinar um documento comprometendo-se a serem pais e maridos mais presentes. Corajosos mostra como a relação com os pais pode marcar profundamente – para o bem ou para o mal – a vida de uma pessoa.
Policiais que se arriscam diariamente para combater o crime ao mesmo tempo tentam entender as razões que levam tantas pessoas a entrarem nessa vida. Índole? Escolha? A falta do pai dentro do lar?
Ao fazerem essa reflexão, os próprios policiais se perguntam se são pais e maridos presentes, se contribuem para um lar feliz. Se seus filhos tem o verdadeiro exemplo da figura paterna. Se suas esposas se sentem amadas e protegidas.
O mais bonito nesse livro é a abordagem da fé, amizade e amor em tempos de tanta incredulidade e ceticismo, quando as pessoas já perderam as esperanças. Mostra que Deus nos dá a oportunidade de sermos felizes e que às vezes a desperdiçamos por muito pouco... Brigas, implicâncias sem motivo... Um livro que vale muito a pena ser lido, pois as reflexões que ele trás são realmente emocionantes!
A história desses quatro policiais é densa e permeada por conceitos cristãos – às vezes implícitos em outros bem explícitos com citações de versículos. Os autores criaram personagens cristãos imperfeitos, seres humanos passíveis de raiva e medos e que o mais importante não é sentir esses sentimentos, mas sim o que fazer com eles (deixá-los aos pés da cruz). Uma mistura de romance, aventura e fé sem soar como "a lição de moral é...".
Impossível não se emocionar com o policial Adam e sua filha Emily. O arrependimento do pai em ter perdido um momento único com sua filhinha de 9 anos. Uma mensagem de esperança em tempos de caos. Cada página mostra um ensinamento que pais ou futuros pais deveriam apreciar. É um drama comovente!
Que caminho tomar diante das dificuldades? Seria mais fácil optar pela separação ou afastamento, pelo suicídio ou superar momentos difíceis com fé, determinação, força, amizade e amor?
É um livro lindo!