quarta-feira, 15 de abril de 2015

A HORA E O LUGAR - SEU MOMENTO DEVOCIONAL

“Na arca da salvação encontramos primeiro, segundo e terceiro pisos (ou andares); nem todos estão no mesmo nível, embora todos na arca. No rio da experiência cristã, a maioria dos crentes já penetrou até mergulhar os tornozelos; alguns até cobrir os joelhos; poucos penetraram até a altura do peito; raros são os que nadam com liberdade, sem que seus pés toquem o fundo do rio”. (Charles Spurgeon).

Ter local e horário fixo para sua comunhão pessoal pode, a primeira vista, parecer desnecessário, entretanto, as exigências do cotidiano são tantas que, se esse tempo não for estabelecido e colocado como prioridade, certamente, não o teremos.

Talvez você pense que perderá sua espontaneidade se marcar horários para estar em comunhão com Deus, todavia é exatamente o contrário que acontece. Por quê? Quando nosso desejo é ser mais que mero conhecido de alguém, procuramos vê-lo com frequência, marcamos dia e hora para estarmos juntos, e isso não faz com que deixemos de ser espontâneos.

Todo relacionamento levado a sério deixa de ser um relacionamento casual e passa a ser comprometido e planejado, justamente por ser sério e importante. Programar, separar e manter um horário é sinal de compromisso no relacionamento, todavia, isso não impede que tenhamos horários extras, sem planejamento. Tomar tempo para programarmos nosso horário devocional (bem como para nossas outras atividades importantes) pode solidificar nosso relacionamento com o Senhor.

Quando falamos sobre tempo de oração devemos ter em mente que a leitura da Palavra e sua meditação podem ser incluídas, entretanto, devemos saber exatamente qual o limite de cada uma.

Evidentemente, não se deve passar a maior parte do tempo lendo e relegar à oração um tempo insignificante ou vice-versa, deve haver tempo razoável para cada uma, tendo em vista serem as duas, igualmente, importantes. Você pode dividir meio a meio seu tempo devocional, pode orar um tempo maior num dia e no outro ler um pouco mais de tempo, no entanto, a leitura não pode substituir a oração sob nenhuma hipótese, pois não podemos abrir mão do contato direto com o Senhor.


A leitura da Palavra é um bom auxilio, porém, nunca um substituto da oração.