terça-feira, 22 de outubro de 2013

[ Resenha ] O Ladrão de Arte

Nome: O Ladrão de Arte
Autor: Noah Charney
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Ano: 2008
[ Sinopse ]  Roma: Na pequena igreja barroca de Santa Giuliana, uma magnífica pintura de Caravaggio desaparece sem deixar pistas. Paris: Na câmara de segurança do porão da Sociedade Malevitch, a curadora Geneviève Delacloche é surpreendida com o desaparecimento do maior tesouro da instituição: Branco sobre Branco, a famosa obra do russo Kasimir Malevitch. Londres: Roubada a mais recente aquisição da National Gallery of Modern Art. Os inspetores Jean-Jacques Bizot, da polícia parisiense, e Harry Wickenden, da Scotland Yard, recompõem as peças desse intrincado quebra-cabeça. O que parecia uma série de roubos sem conexão é parte de um plano monumental que conjuga pistas falsas e enigmas de sofisticação apaixonante. Nos bastidores do mundo artístico, nos museus, galerias e casas de leilões se esconde um mistério concebido com a genialidade digna das melhores obras-de-arte.

Curioso? Então vamos lá. 

A princípio não foi um livro que me empolgou muito, mas com o passar do tempo fui me envolvendo e ficando cada vez mais curiosa para saber o final desse mistério!
A história começa devido a três furtos de obras de artes que ocorreram em três lugares distintos e nada próximos.
Em Roma, uma magnífica obra de Caravaggio desaparece da pequena igreja barroca de Santa Giuliana sem deixar pistas. Em Paris, uma pintura da série Composição suprematista Branco sobre Branco criada pelo artista russo Malevitch desapareceu do cofre da nomeada Sociedade Malevith. E em Londres, a pintura denominada Sem Título também de Malevitch da mesma série Branco sobre Branco recém-adquirida, num leilão, pelo Museu National Gallery of Modern Art.
A primeira vista os furtos não parecem ter qualquer tipo de conexão todavia, tudo foi muito bem arquitetado por aqueles que estão “acima de qualquer suspeita”. Falsificações são trazidas à tona, pessoas da mais alta sociedade traindo e sendo traídas, além de vinganças e votos comprados.
Noah Charney, mestre em história da arte, mistura obras de arte famosas com roubos para lá de misteriosos. O mundo da arte com detalhes de cada uma das obras comentados, mesmo assim o livro é leve, divertido, ágil, informativo, misterioso, surpreendente e com muitos personagens, no entanto, você consegue, perfeitamente, distingui-los.
A trama é exemplar, bem esquematizada, misturando três locais, três roubos e três obras de arte diferentes bem como as explicações (verdadeiras) sobre história da arte que vêm na medida certa.
As pistas não se encaixam, os ladrões de arte são perdoados por serem o que são: ladrões de arte, e muita, muita informação. A temática do livro é ótima e prende a atenção do começo ao fim, e além de ser divertido te traz informações sobre a história da arte em geral.